FILHOTES DE SHIH-TZU

FILHOTES DE SHIH-TZU

domingo, 3 de julho de 2011

LHASA APSO E SHIH-TZU - CARA DE UM, CARA DO OUTRO... MAS COM FOCINHOS DIFERENTES!



                  LHASA APSO





   
                      SHIH-TZU


         
Muitas pessoas ainda possuem dúvidas sobre as duas raças, e as confundem muito. Inúmeras vezes as pessoas passam na rua e perguntam, “Esse aí é o Lhasa né”, se refirindo a um Shih Tzu. Já ouvimos relatos até de pessoas que compraram a raça pensando que era a outra. A matéria especial sobre as duas raças deve tirar as dúvidas dos nossos leitores.







Poucas raças caninas são tão confundidas entre si quanto essas duas. Lhasa Apso e Shih Tzu têm mesmo muito em comum. Não só na aparência, responsável pela surpresa de quem descobre que eles não são um único cão, como também na origem, em certos aspectos do temperamento e nos cuidados que exigem. 


Duas dessas semelhanças são determinantes do sucesso atual da dupla. Porte pequeno e pelagem vasta formam combinação promissora para um cão no mundo moderno. Rotinas atribuídas e a crescente escolha por moradias compactas acenam com simpatia para alternativas caninas práticas e portáteis. Elas se acomodam bem até nas menores casas, são fáceis de transportar e potencialmente mais baratas de manter. Quanto à cabeleira abundante, embora perca em praticidade para visuais mais básicos, é mais chamativa e lidera a preferência do público de cães pequenos.

O fato é que Lhasa e Shih Tzu vivem popularidade ascendente no Brasil. De 2000 a 2006, a produção de Lhasas oficialmente declarada na Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC) aumentou em quase 85%, passando de 2.639 filhotes nascidos para 4.848. Quanto à criação de Shih Tzus no mesmo período, teve o surpreendente crescimento de 440%: foi de 1.635 nascimentos para 8.838. Considerando-se apenas o ano passado, os dois, somados, representaram 15,52% de todos os cães de raça que nasceram e receberam pedigree da CBKC. Hoje, o Lhasa é o 4º cão do País em número de filhotes nascidos. O Shih Tzu é o 2º (à frente dele, apenas o Yorkshire).

O porquê de o Shih Tzu liderar a dupla não se sabe ao certo. O maior ou menor sucesso dessa ou daquela raça muitas vezes não pode ser estabelecido com precisão. Mas há pelo menos uma tese coerente para explicar a supremacia quantitativa do Shih Tzu, verificada não só no Brasil como em outros importantes centros cinófilos. Embora os dois sejam pequenos, o Lhasa – em média – é maior (veja quadro Quem é quem). “Para o grande público, quanto menor, melhor; as pessoas querem um cachorro pocket, com isso, o Shih Tzu leva vantagem”, analisa o criador de ambas as raças Guilherme de Berrêdo Martins, do canil Axeram, de São Luís. Junte-se a isso uma faceta de temperamento. O Shih Tzu é um cão extrovertido. O Lhasa faz o gênero reservado. Muitas vezes, o conjunto de características dele é até mais adequado para o estilo de vida do futuro dono, mas a primeira impressão conta muito e é rapidamente divulgada pelo boca-a-boca. “Na maioria dos casos, o público se encanta mais com o cão festeiro, que vê o comprador e corre na direção dele abanando o rabo; esse é o Shih Tzu, não o Lhasa”, compara a criadora Ana Kramer, do canil Christal Kramer, do Rio de Janeiro, que há 11 anos se dedica às duas raças. “O Shih Tzu leva a fama de mais simpático”, conclui Eduardo Teixeira, ex-criador de Lhasas e dono do canil Prime Moon, do Rio de Janeiro, eleito o 3º melhor de Shih Tzu pelo ranking CBKC de 2006.
                                                                    Quem é quem?

                                                    
Temperamento Típico
Que ninguém rotule o Lhasa de antipático. Seu perfil comportamental tem um quê de guardião, atribuído ao passado de cão de alarme. É esperado e natural que cães usados para a guarda não se comportem de forma muito receptiva a estranhos. O Lhasa típico, embora não seja agressivo, geralmente não é dado a intimidades com pessoas desconhecidas. Já o Shih tzu, aprimorado exclusivamente como cão de companhia, é o cachorro do Roberto Carlos: quer ter um milhão de amigos. “O Lhasa possui natureza desconfiada, o Shih Tzu vai com todo mundo”, compara a criadora britânica Judy Jones, de Birkenhead, na península Wirral, que se dedica a ambas ás raças há 13 anos. “O Shih Tzu recebe qualquer um com pulos e lambidas, não se pode esperar essa efusividade de um Lhasa”, pondera o veterinário e juiz cinófilo Luiz Paulo Raeder, de Curitiba. “Se a visita for assídua, ele até abana o rabo para cumprimentá-la, mas logo vai para o canto dele; se for um visitante eventual, o mais comum é que lata para anunciar a chegada da pessoa e depois fique indiferente”, resume Raeder, também criador das duas raças e dono do canil Raeder, o 2º melhor de Lhasas pelo ranking 2006 da CBKC. O Shih Tzu , há quem defina, tem personalidade ingênua. “Age como se conhecesse todos de longa data; é daqueles que levam a bolinha para o ladrão. 

  
  
Lhasa e Shih Tzu compartilham várias similaridades físicas: porte epequeno; formato corporal retangular (comprimento do tronco supera a altura na cernelha), orelhas pendentes e franjadas; cauda emplumada e virada para as costas; e pelagem vasta, com mesmo estilo de caimento. Os dois também existem nas mesmas variedades de cor: particoloridos (branco com outras cores) e sólidos (uma única cor). Mas é possível diferenciar as duas raças com precisão. Pelo menos, em se tratando de cães típicos, aqueles que se aproximam satisfatoriamente das exigências do padrão oficial. Confira. 



FONTE:

Nenhum comentário:

Postar um comentário